MENU

04/10/2021 às 17h12min - Atualizada em 05/10/2021 às 00h01min

Outubro Rosa: como lidar com a descoberta do câncer de mama?

Rosangela Sampaio dá dicas para esse Outubro Rosa, seja você quem descobriu o câncer de mama ou ao dar apoio emocional a outra mulher

SALA DA NOTÍCIA Rosangela Sampaio
Divulgação
A falta de regulação emocional, sinais de baixa autoestima, ansiedade, depressão, estado de dor e angústia são sintomas recorrentes no processo de descoberta da doença.

Durante e depois do tratamento vêm a vida e suas inquietudes. É um mecanismo normal da nossa mente construir medos futuros em relação a situações dolorosas do passado.

Recebo muitas mulheres em meu consultório para o processo psicoterapêutico que é um dos caminhos para auxiliar a paciente na luta contra a doença e também oferecer apoio aos familiares.

Na clínica, a mulher é convidada a refletir sobre suas emoções e como gerar mais emoções positivas, engajamento e aceitação durante o tratamento, sentido de vida, realizações e relacionamentos positivo, o lugar da sua feminilidade, além dos estereótipos do corpo “perfeito”.

Essa resposta, sempre muito particular, levará a essa mulher a possibilidade de se reconhecer e se amar, na alegria, na tristeza, na saúde e na doença.

Estudos comprovam que pessoas mais otimistas têm resultados melhores em relação ao câncer, com forte nível de significância.

“Em um estudo britânico pioneiro, 69 mulheres com câncer de mama foram acompanhadas durante cinco anos. Mulheres que não tiveram reincidência tendiam a ser aquelas que regiam ao câncer com ‘espírito de luta’, enquanto as que tinham falecido ou tido reincidência tendiam a reagir ao diagnostico inicial com desamparo e aceitação estoica”.

 

Outubro Rosa: todo suporte emocional é bem-vindo!


Segundo o Ministério da Saúde, o carinho e a ajuda dos amigos e parentes são fundamentais para manter o otimismo, a saúde emocional e a vontade de controlar o câncer. Colocar-se à disposição para auxiliar nas tarefas domésticas, dizer frases positivas e não menosprezar a doença são algumas atitudes simples que podem ajudar no tratamento. 

Vale ressaltar que cada paciente lida de uma maneira em relação ao seu diagnóstico, no entanto, algumas dicas podem ajudar você, familiar e amigo, a dar suporte e acolhimento:

 
  • Passe um tempo com a pessoa;
  • Deixe-a decidir o que, quando e o quanto compartilhar;
  • Esteja disponível para conversar quantas vezes ela quiser;
  • Respeite se a pessoa precisar de espaço;
  • Fale de outras coisas além do câncer.
A importância do autoexame e da realização de diagnósticos clínicos são temas recorrentes durante o Outubro Rosa e convido você a olhar mais para você.

A campanha é importante porque nos faz compreender nosso papel na sociedade em relação à doença, além de mostrar que podemos mudar nossos hábitos, nos informar e termos um papel de destaque com relação à prevenção da doença.

 

Quem é Rosangela Sampaio?

Rosangela Sampaio é psicóloga, terapeuta holística, palestrante, escritora e apresentadora do programa Mulheres em Flow.


Dentre seus trabalhos literários estão o capítulo “O poder do autoamor”, da obra “Autoamor – Um caminho para regulação emocional e autoestima feminina”, além das coordenações editoriais e coautorias dos livros “Sem Medo do Batom Vermelho”, onde aborda um tema que é sempre polêmico, a rivalidade feminina, e “Mulheres Invisíveis”, sobre violência contra a mulher.

Também é colunista de portais expressivos e revistas nacionais, onde leva informações sobre saúde mental para todos com uma linguagem leve, acessível e mostrando que disfunções emocionais fazem parte da vida de todos, não apenas “de gente fraca”.


Saiba mais sobre o seu trabalho em @rosangelasampaiooficial e @mulheresemflowoficial.

 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://gazetacentrooeste.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp