MENU

17/11/2021 às 17h04min - Atualizada em 18/11/2021 às 00h00min

Salas de aula modernas: como proteger seus filhos?

Por meio de sua iniciativa Digipais, a ESET analisa como a tecnologia está mudando na sala de aula e o que podemos fazer para manter os jovens seguros

SALA DA NOTÍCIA Weslley Morais

Muitos adultos se lembram dos tempos em que a tecnologia na sala de aula não ia além de um projetor, um rádio e talvez um computador pessoal. Hoje, a maioria dos professores usam laptops fornecidos pela escola para ensinar. Não seria surpreendente se os alunos o seguissem de outros laptops mantidos na sala de aula. O pacote de laptops pode ser complementado com outros itens, como lousas inteligentes, reprodutores de mídia de streaming e impressoras, e é claro que também existem os smartphones pessoais dos alunos. A ESET, empresa líder em detecção proativa de ameaças, por meio de sua iniciativa Digipais, analisa como a tecnologia está mudando na sala de aula moderna e o que podemos fazer para protegê-la.

 

“Infelizmente, não existe uma solução universal e 100% infalível para proteger as crianças que usam a tecnologia. Por exemplo, só porque o smartphone de uma criança bloqueia o acesso a conteúdo impróprio de um site, não significa que o smartphone de seu colega de classe faz o mesmo. Portanto, a questão é: como podemos manter nossos filhos seguros enquanto usamos a tecnologia em sala de aula?” pontua Camilo Gutiérrez Amaya, chefe do Laboratório de Pesquisa da ESET América Latina.

 

A ESET recomenda se familiarizar com algumas das melhores práticas para manter as crianças seguras online e fazer uma lista de dispositivos, software e tecnologia que são usados ​​todos os dias. A maioria se enquadrará nas seguintes cinco categorias:

 

  • Laptops, tablets e smartphones: de acordo com o Education Superhighway, 87% dos professores dizem que usam a mídia digital de aprendizagem em suas salas de aula várias vezes por semana. Embora existam muitas modalidades, os dispositivos predominantes são: laptops, tablets e smartphones.

 

Para dispositivos fornecidos pela escola, verifique se a instituição possui uma política de segurança para monitorar o acesso e controlar o conteúdo. Além disso, você deve fazer a eles algumas perguntas como: Quando os alunos estão na escola, eles podem usar os dispositivos para acessar a Internet, se comunicar com outras pessoas ou até mesmo participar das atividades da sala de aula? Eles podem levar os dispositivos para casa?

 

No caso de dispositivos pessoais, como smartphones, pode ser considerada a possibilidade de instalação de uma solução de segurança para dispositivos móveis para controlar o uso dos dispositivos por menores dentro e fora da escola.

 

  • Sistemas de gestão de aprendizagem: este sistema constitui pelo menos uma parte da experiência diária dos alunos em sala de aula. É um software que pode ser acessado de qualquer dispositivo ou navegador da web, com o objetivo de fazer upload e acessar documentos, agendar trabalhos de casa, avaliar provas e muito mais.

 

A maioria dessas ferramentas é considerada bastante confiável devido à ausência de anúncios e spam, além de seu acesso seguro. No entanto, certas plataformas como o Google Sala de aula têm painéis de mensagens que são difíceis de moderar e que geralmente permitem espaço para os alunos enviarem mensagens inadequadas. Nesse caso, os adultos devem orientá-los quanto ao seu uso correto e discutir com eles os comportamentos aceitáveis ​​no envio de mensagens, no compartilhamento de arquivos e na interação de outras formas na plataforma.

 

  • E-mail: idealmente, as comunicações por email ou mensagem instantânea devem ocorrer em um ambiente controlado, como por meio do sistema de gerenciamento de aprendizagem. No entanto, não é incomum que os alunos tenham seus próprios endereços de e-mail e os usem para se comunicar com professores e outros alunos.

 

Em primeiro lugar, é importante ensinar as práticas recomendadas de segurança aos menores e identificar ameaças provenientes de e-mails. O phishing, por exemplo, continua sendo uma das principais ameaças à segurança de e-mail. Muitas crianças não sabem que não devem abrir arquivos suspeitos ou desconhecidos. Converse sobre todos esses tópicos e ensine-os a pensar duas vezes ou verificar antes de clicar em algo ou compartilhar informações por e-mail. 

 

  • Vídeo,  plataformas de colaboração e aprendizagem social: em muitos sistemas de gestão de aprendizagem, plataformas de colaboração e aprendizagem social, o vídeo é uma das maneiras de os alunos compartilharem seus trabalhos, fazerem comentários ou até mesmo enviarem mensagens. Soluções como Flipgrid e Padlet são exemplos das chamadas plataformas de aprendizagem social, onde os alunos podem compartilhar seu trabalho e interagir com o trabalho de outras pessoas, tudo moderado pelo instrutor.

 

As duas principais preocupações de segurança são acesso e moderação. Controlar o acesso a essas plataformas deve ser uma prioridade. Por exemplo, embora as salas de aula do Zoom possam ser protegidas por senha, elas não são imunes a intrusões indesejadas (Zoombombing). Moderar o que é compartilhado, dito ou enviado nessas plataformas também pode ser um desafio. A ESET recomenda procurar soluções que ofereçam mecanismos de proteção para acesso e compartilhamento, bem como funcionalidades robustas para moderar as interações dos alunos.

 

  • Jogos: uma das tendências mais recentes é a gamificação na sala de aula. Em vez de depender de livros didáticos, as escolas estão se voltando para programas de software divertidos e interativos que incentivam mais o envolvimento dos alunos. Soluções como Gimkit ou Kahoot! oferecem uma variedade de jogos e atividades em que os alunos ganham pontos, emblemas e sobem de nível ao participar. Embora as questões de segurança relacionadas a essas plataformas sejam menos importantes do que as outras, elas ainda são uma tecnologia de sala de aula moderna da qual os pais precisam estar cientes.

 

“Novamente, o principal é que as crianças se conectem à sala de aula, aprendam com eficácia e permaneçam seguras. Quando se trata da segurança das crianças na sala de aula, a consciência ganha metade da batalha. Embora esta lista de recursos de tecnologia modernos para a sala de aula seja bastante detalhada, a tecnologia continuará a evoluir em um ritmo vertiginoso. Os pais podem ajudar muito na proteção de seus filhos simplesmente acompanhando o que está acontecendo e o que eles usam na sala de aula. Além de estarem informados e conscientes, os pais podem educar a si próprios e a seus filhos sobre as melhores práticas de segurança para permanecer online.” conclui Gutiérrez Amaya, da ESET América Latina.

 

A ESET aconselha os pais a usarem soluções de segurança especialmente criadas para manter as crianças seguras enquanto usam seus dispositivos pessoais. Muitas escolas já protegem seus próprios dispositivos, incluindo aqueles que distribuem aos alunos. Ainda assim, os pais podem adicionar outra camada de proteção aos dispositivos pessoais que as crianças usam para se conectar de casa.

 

Digipais, é uma iniciativa promovida pelo Safer Kids Online da ESET, que visa acompanhar pais e professores no cuidado de crianças na Internet de forma a sensibilizar para os riscos e ameaças no mundo digital. Neste espaço são fornecidos materiais para o processo de aprendizagem, diálogo e supervisão, de forma a facilitar os conhecimentos necessários para auxiliar os mais pequenos no uso das novas tecnologias. Para saber mais sobre os perigos que as crianças enfrentam online, visite Digipais.

 

Para conferir as informações completas, acesse: https://digipais.com.br/novedades/67-protegendo-os-dispositivos-dos-seus-filhos-na-sala-de-aula-moderna


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://gazetacentrooeste.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp