MENU

16/06/2022 às 19h38min - Atualizada em 18/06/2022 às 00h01min

Construtivos isotérmicos são importantes aliados do agronegócio para proteger a plantação das chuvas, geadas e vento

As placas e telhas isotérmicas garantem proteção e ajudam a manter a temperatura adequada para cada tipo de cultura.

SALA DA NOTÍCIA Ana Paula Marçal
www.thermoiso.com.br
Divulgação
Com a chegada do inverno a grande preocupação dos agricultores é como proteger a plantação do frio, geadas e fortes chuvas.  Muitos usam lonas na intenção de minimizar o impacto das baixas temperaturas, mas nem sempre esse material é eficaz, pois, ele não consegue evitar a umidade, nem tão pouco o contato direto da chuva na plantação. Mas, como evitar perdas na agricultura nesta época do ano? A melhor decisão é usar telhas e placas isotérmicas que são montadas com estruturas firmes e, retém a passagem de até 40% do frio, permitindo que a plantação se desenvolva e não se prejudique com as intempéries.

A empresa brasileira, Thermo-Iso, vem se destacando dentro do setor de agronegócios, pois seus construtivos isotérmicos estão sendo muito usados para a construção de galpões, com o objetivo de proteger a plantação em todas as estações do ano.  A fabricante vem realizando, em todo Brasil, obras personalizadas que atendem as necessidades de cada produtor. Com esse tipo de construtivo também é possível montar galpões fechados e específicos para determinada cultura, que precisa de um ambiente climatizado.

O produtor Fernando Luis Camolzi, da Fazenda Hess, localizada na cidade de Bebedouro (SP), é um grande exemplo de quanto esses construtivos são eficazes e parceiros do produtor. A Fazenda Hess trabalha com mudas de cana pré-brotadas (MPD), um cultivo delicado que precisa ter um ambiente climatizado entre 30 e 35 graus.  “As estufas que construímos são perfeitas para o nosso trabalho, porque, além de garantir a saúde das nossas mudas, durante as baixas temperaturas, ganhamos muito com o aumento da produção”, explica Camolzi.

Os dois primeiros galpões que foram construídos pela Thermo-Iso, abrigam, em cada, 70 mil mudas. Mas, com o crescimento do negócio, um terceiro galpão está sendo levantado e nesse serão germinadas 110 mil mudas. “Esse aumento na nossa produção só é possível porque temos um ambiente adequado e construído por quem entende o nosso negócio. Antes das estufas, a taxa de brotação era de 50%, ou seja, apenas metade do que era plantado germinava. Agora, com esses espaços, nossa taxa subiu para 65%. Com a expansão, nossa meta é chegar a uma taxa de brotação de 80%”, esclarece Calmozi.

Por ser um material de extrema versatilidade, as placas isotérmicas podem ser usadas em telhados de grandes galpões que abrigam gado, por exemplo, até criadouros de pintinhos que precisam de uma temperatura controlada 24 horas por dia.

No caso dos galpões, que são totalmente fechados, os construtivos da Thermo-Iso, permitem que tanto o sistema de refrigeração, quanto o aquecedor, sejam desligados ao atingir a temperatura adequada, e o clima se manterá por horas, com isso, pode-se chegar a uma economia de até 50% na energia elétrica.

Sobre a Thermo-Iso

Thermo-Iso é uma indústria brasileira, com uma unidade situada na cidade de Ribeirão Pires, na grande São Paulo, e outra unidade na cidade de Cambuí, em Minas Gerais. Fabricante de soluções para os mais variados segmentos da construção civil e indústrias, a Thermo-Iso tem seu foco no fornecimento de isolantes térmicos e acústicos, com linhas de produtos para coberturas, refrigeração, produtos em poliuretano (PUR) e poliisocianurato (PIR), com uma gama variada que atende todas as demandas.

Os grandes diferenciais da empresa são: a fabricação de produtos com alta precisão e o desenvolvimento de novos projetos. Tudo para sempre superar as expectativas dos clientes.
Atualmente a empresa se destaca por possuir maquinários automatizados de alta tecnologia, o que garante uma elevada capacidade produtiva, além de contar com frota própria de veículos, preparada para uma entrega rápida e eficiente.

Mesmo com um cenário econômico ainda turbulento, a diretoria da empresa tem a expectativa de crescer 40% em 2022. Essa projeção se deve à retomada da construção civil como um todo, e aos novos investimentos que as indústrias estão fazendo nos seus espaços fabris.










 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://gazetacentrooeste.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp