MENU

15/06/2021 às 15h47min - Atualizada em 15/06/2021 às 15h47min

EUA registram 600 mil mortes pela Covid-19, aponta universidade

Com uma forte campanha de vacinação em massa, o país reduziu fortemente o número de novos casos e mortes pelo coronavírus mas segue como o mais afetado pela doença no mundo.

Globo Internacional
G1 Notícias
Painel da Universidade Johns Hopking em 15 de junho de 2021 — Foto: Reprodução

Os Estados Unidos ultrapassaram nesta terça-feira (15) as 600 mil mortes pela Covid-19, segundo levantamento da universidade americana Johns Hopkins.

O número de casos e mortes pelo coronavírus nos EUA vem diminuindo por conta do avanço no ritmo de vacinação, no entanto, o país é ainda o mais afetado pela doença no mundo.


Números da Covid nos EUA:

  • 33.478.513 casos
  • 600.039 mortes

Ritmo de mortes

Demorou 113 dias para que o número avançasse dos 500 mil mortos para 600 mil mortos na pandemia de Covid-19.

Foi o segundo período mais lento, durante toda a pandemia, que o país registrou 100 mil mortes – perdendo apenas para as primeiras 100 mil, desde março do ano passado.

O salto anterior, quando o país tinha ainda 400 mil mortos durou apenas 35 dias, quando registrou as 500 mil.

A média semanal de mortes pela Covid-19 nos EUA caiu em quase 90% do pico em janeiro. O país reportou 18.587 mortes relacionadas ao coronavírus em maio – cerca de 81% menos do que em janeiro, segundo os dados da universidade americana.


Queda de casos
 

O sucesso inicial do programa de vacinação dos EUA teve um grande impacto no ritmo das mortes no país. Veja abaixo a média móvel de casos de Covid-19 nos EUA, segundo a Johns Hopkins:
 


Gráfico mostra a média móvel de casos de Covid nos EUA desde o início da pandemia — Foto: UJH


Vacinação nos EUA
 

Os EUA aplicaram ao menos uma dose de vacina em mais de 3 milhões de pessoas, e cerca de 44% da população americana já recebeu as duas doses da vacina.

Desde dezembro, os americanos vacinam a população contra a Covid-19, com as vacinas produzidas pelas farmacêuticas Pfizer/BioNTech e Moderna em regime de duas doses.

Mais recentemente o país também aderiu ao uso do imunizante da Janssen (Johnson & Johnson) que requer apenas uma dose para a proteção completa.

 

 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://gazetacentrooeste.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp