MENU

20/04/2022 às 10h43min - Atualizada em 24/04/2022 às 00h01min

Empresa comemora Dia Internacional das Meninas em Tecnologia da Informação e Comunicação com 58% de mulheres em cargos de liderança

Após 12 anos de carreira, colaboradora da FS conta que estar sob comando feminino faz diferença no dia a dia do trabalho

SALA DA NOTÍCIA Assessoria de imprensa
FS Security
Arquivo pessoal
O próximo dia 27 marca o Dia Internacional das Meninas em Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC), criado pela ONU com os objetivos de mostrar o valor das mulheres na área e encorajar mais meninas a planejarem carreiras no setor.

No Brasil, a FS Security, líder em tecnologia e soluções digitais com expertise no desenvolvimento de aplicativos de segurança, celebra a marca de 58% dos cargos de liderança ocupados por mulheres, uma delas à frente da área de TI há cinco anos. Formada em Tecnologia da Informação com MBA em Gestão de Projetos, a diretora de Gestão de Projetos em TI, Kátia Regina Amorim da Silva, diz que a empresa preza por movimentos que promovam a equidade de gênero, além de investir na promoção da cultura de valorização da mulher e na gestão inclusiva em seu quadro profissional.

“Ter uma data específica para estimular as meninas a virem para a TI é importante, principalmente porque o perfil das gerações mudou. O interesse das meninas já é igual e, às vezes, até superior ao dos meninos. Tenho muito orgulho de estar nesta posição e, principalmente, de contar com mulheres na equipe”, diz Kátia.

Uma das colaboradoras que atua no time dela é Nataly Borges de Oliveira, de 34 anos, que há 12 atua na área de TI. Ela lembra que começou a se apaixonar por TI ainda na adolescência, aos 12 anos, por influência do irmão mais velho, que atua no setor.

“Sempre estudei em escola pública e para pagar a faculdade trabalhava como operadora de telemarketing. Comecei a fazer estágio na área de infraestrutura com o FREEBSD, um sistema operacional UNIX, que é como se fosse o pai do Linux. Eu não tinha noção nenhuma, porque estava no primeiro semestre da faculdade, mas o dono da empresa tinha didática muito boa e me ensinou demais”, conta.

Para Nataly, estar sob liderança feminina é extremamente gratificante. “Infelizmente nossa área ainda é machista. Já passei por ambientes profissionais em que ouvi infinitas piadas sexistas em que ficava nítida a falta de hábito de ter mulheres na equipe”, declara, para em seguida complementar dizendo que saber que a direção não tem distinção por gênero traz alívio e mais motivação ao dia a dia.

“A gente sente que é tratada com equidade, independentemente de erros ou acertos na função. Isso faz bastante diferença, porque já tive de provar e explicar que sabia executar determinada função com mais detalhamento do que era exigido dos meus pares masculinos”, afirma.

Mulheres no mercado
De acordo com o Relatório de Ciências divulgado pela Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (Unesco), em fevereiro de 2021, em todo o mundo, as mulheres representavam 40% dos graduados em Ciência da Computação e Informática. Já segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2021 as mulheres ainda representavam apenas 20% da força de trabalho na tecnologia no Brasil. Segundo a ONU, o Dia Internacional das Meninas em Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) serve também como um chamado para que governos, indústria, empresas e instituições acadêmicas desenvolvam estratégias para dar material e apoio necessários para as meninas que queiram seguir na carreira de TIC.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://gazetacentrooeste.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp